Mitos e verdades sobre a soja

O original está aqui.

Tradução por Daniel Castro

Não deixe a aparência inocente enganá-lo

Mito: O uso da soja como comida acontece há dezenas de milhares de anos.

Verdade: A soja foi usada pela primeira vez como comina da dinastia Chou (1134-246 AC), e somente após os chineses terem aprendido a fermentá-la para fazer comidas como tempeh, nattô e tamari.

Mito: Asiáticos consomem grandes quantidades de soja.

Verdade: O consumo médio de comidas de soja no Japão e na China é de 10 gramas (cerca de duas colheres de chá) ao dia. Asiáticos as consomem como condimentos, e não como substitutas para comidas de origem animal.

Mito: Comidas de soja modernas conferem os mesmo benefícios à saúde que as comidas tradicionalmente fermentadas de soja.

Verdade: A maioria das comidas modernas de soja não são fermentadas para neutralizar as toxinas da soja, e são processadas de um modo que desnatura as proteínas e aumenta o nível de carcinogênicos.

Mito: Comidas de soja provêm proteína completa.

Verdade: Como todos legumes, a soja é deficiente nos aminoácidos com enxofre metionina e cistina. Além disto, seu processamento moderna desnatura o frágil aminoácido lisina.

Mito: Comidas fermentadas de soja podem prover a vitamina B12 em dietas vegetarianas.

Verdade: O composto que se parece com a vitamina B12 na soja não pode ser usado pelo corpo humano; de fato, a soja faz com que o corpo requeira mais B12.

Mito: Comida infantil com soja é segura.

Verdade: Comidas com soja contêm inibidores de tripsina que inibem a digestão de proteína e afetam a função pancreática. Em animais de laboratório, dietas ricas em inibidores de tripsina levaram a um crescimento menor e a problemas pancreáticos. Comidas com soja aumentam a necessidade do corpo por vitamina D, necessária para ossos fortes e um crescimento normal. O ácido fítico encontrado nas comidas com soja resulta em uma menor biodisponibilidade de ferro e zinco, que são necessários para a saúde e desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso. Ela também não contem colesterol, do mesmo modo necessário para o desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso. Megadoses de fitoestrogênios encontrados na comida infantil com soja já foram acusados pela atual tendência de um desenvolvimento sexual cada vez mais prematuro nas garotas, e no retardamento do desenvolvimento sexual dos garotos.

Mito: Soja pode prevenir a osteoporose.

Verdade: Soja pode causar deficiências de cálcio e vitamina D, ambas necessárias para ossos saudáveis. O cálcio de sopas de ossos e a vitamina D de comidas marinhas, banha e órgãos é o que previne a osteoporose na àsia— e não a soja.

Mito: Comidas de soja modernas protegem contra vários tipos de câncer.

Verdade: Um estudo do governo britânico concluiu que há poucas evidências que essas comidas protegem contra o câncer de mama ou quaisquer outras formas. De fato, a soja pode aumentar o risco de câncer.

Mito: A soja protege contra doenças cardíacas.

Verdade: Em algumas pessoas, o consumo de soja irá abaixar o colesterol, mas não há evidências que uma diminuição do colesterol com proteína de soja diminui o risco de doenças cardiovasculares.

Mito: Estrogênios da soja (isoflavonas) são bons para você.

Verdade: As isoflavonas da soja são perturbadores fito-endócrinos. EM níveis dietários, elas podem prevenir a ovulação em mulheres e estimular o crescimento de células cancerosas. Comer somente 30 gramas de soja por dia pode resultar em hipotireoidismo com sintomas de letargia, constipação, ganho de peso e fadiga.

Mito: A soja é segura e benéfica para mulheres pós menopausais.

Verdade: A soja pode estimular o crescimento de tumores dependentes do estrogênio e causar problemas de tireoide. Uma baixa atividade da tireoide é associada com dificuldades na menopausa.

Mito: Os fitoestrogênios da soja podem melhorar a habilidade mental.

Verdade: Um estudo recente descobriu que mulheres com os maiores níveis de estrogênio no sangue tinham os menores níveis de função cognitiva; Em imigrantes japonesas para os EUA o consumo de tofu na meia idade é associado à ocorrência da doença de Alzheimer mais tarde na vida.

Mito: As isoflavonas da soja e a proteína isolada de soja são reconhecidas como seguras nos EUA.

Verdade: A Archer Daniels Midland (ADM) recentemente retirou o pedido à FDA deste status para as isoflavonas, após uma enxurrada de protestos da comunidade científica. A FDA nunca aprovou este status para a proteína isolada de soja devido a preocupações com a presença de toxinas e carcinogênicos na soja processada.

Mito: A soja é boa para sua vida sexual.

Verdade: Diversos estudos com animais demonstram que a soja causa infertilidade em animais. O consumo de soja aumenta o crescimento de cabelos em homens de meia idade, o que indica menores níveis de testosterona. Donas de casa japonesas dão tofu a seus maridos quando elas querem reduzir sua virilidade.

Mito: A soja é benéfica ao meio ambiente.

Verdade: A maioria da soja cultivada nos EUA é geneticamente modificada para permitir que fazendeiros usem grandes quantidades de herbicidas.

Mito: A soja é boa para nações em desenvolvimento.

Verdade: Em países de terceiro mundo, a soja toma o lugar de cultivos tradicionais e transfere a geração de valor do processamento da população local para corporações multinacionais.

Anúncios
Esse post foi publicado em Nutrição e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s