Viva perigosamente e você viverá corretamente

por Jamie Lewis, o original está aqui.
Tradução Daniel Castro.
Goethe disse isto. Ele adora ser fodão e viver no extremo, até chegar ao ponto de dizer que “Os perigos da vida são infinitos, e entre eles está a segurança.”

Eu vivo, essencialmente, pelos credos que “nada arriscado, nada ganho”, “nada de coragem, nada de glória” e  “a fortuna favorece os audazes”. Estes são os lemas em que eu baseio minha vida, minha filosofia de treino, e minha própria persona. Muitos táticos viveram e morreram com estes lemas, e dado que a musculação é essencialmente uma batalha com o ferro, é razoável que marchemos contra o inimigo com a coragem e desprezo que ele merece.

Dito isto, este método é de alto risco e alta recompensa. Você não se protege do risco. Você flerta com ele. Você o tenta. Você corre o risco a cada vez que pega a barra. É essencial que você entenda isto, porque se você ignorar o risco de se machucar ou lesionar, você se surpreenderá e ficará desencorajado.

A dor te lembra de que você está vivo.

Você irá se machucar. Esta é a natureza da vida- dor.

Um par de meses atrás, eu me fodi muito fazendo o exercícios com mais riscos e resultados, o Behind the Neck Push Press. Eu  já contei essa história antes- Eu fiquei cerca de uma hora fazendo séries de uma repetição com 143 kg, errei uma, e deixei a barra cair em minha cabeça, caí numa máquina de leg press imensa, que agora é minha nêmesis. Meu cotovelo bichado inchou como se eu fosse um africano com elefantíase, e eu mal conseguia estender meu braço, muito menos continuar fazendo as BTNs, por um bom tempo. Desde então, eu fiquei com medo de fazê-las, de treinar em academias onde não posso largar os pesos, ou pegar pesos que um homem deveria pegar. Isto acabou recentemente. Eu fiz várias séries de uma repetição com de 134 a 143 kg, e série de duas repetições com 130 kg. No fim das contas, eu me convenci de faria uma série “até a morte” (NT.: Death Set, no original. Trata-se de uma série com muita carga e muitas repetições). Dado que eu estava sozinho na academia, em uma cidade onde ninguém me conhece, isto poderia realmente ser uma série até a morte. Eu fiz algumas repetições, então me acertei com a barra na nuca e desisti por aquele dia. Três dias depois, meu pescoço está me matando, mas eu finalmente não sinto mais aquela dor de cabeça leve.

Existe outro ponto de vista do qual podemos ver a arte de treinar perigosamente- de um ponto de vista econômico. ChAoS and PAIN é essencialmente uma ação de alto risco e alto retorno. Investidores conservadores, dos quais eu aposto que Stuart McRobert e Mark Rippetoe são representantes, tendem a evitar ações “lixo”, focando em merdas como títulos de governos municipais. Por que eles sequer se preocupam, em minha opinião, em comprar estas ações? A taxa de retorno é somente marginalmente melhor do que a de um conta corrente. Então, Ripp e McRobert aconselham as pessoas a treinarem com exercícios de pouco volume, com pouco risco (McRobert gosta do leg press porque ele é seguro, o que na verdade, é totalmente falso, e que fala muito sobre sua idiotice), e eles provavelmente gostam também de música de elevador, da cor bege, e de filmes cuja estrela é Alan Alda.
Se ele estiver pensando para si mesmo, “Por que Deus, por que? Por que eu sou tão lixo?”, seríamos dois.
Um artigo na Motley Fool um tempo atrás dizia:
“Sendo um investidor com um foco em dividendos, “Não persiga ações com grande retorno” é particularmente próximo ao meu coração. Em teoria, um retorno alto quer dizer um risco alto. Na pratica, um retorno alto também quer dizer um crescimento  mais lento, ou que uma empresa está sendo mal entendida pelo mercado.”

CnP é o efeito perfeito do último caso- é um programa mal entendido pelo mercado. Idiotas por toda a internet, que perderiam uma luta com uma figura de papelão da Miley Cyrus, têm altas taxas de gordura corporal e que são tão fracos quanto gatinhos aidéticos, têm muitas bobagens para falar sobre o CnP, e nenhum deles o tentou. Eles não conseguem entender que existe um método na loucura, e que enquanto este método realmente carrega um risco maior, ele também tem uma taxa de retorno muito maior.

D.E.B. Dubois uma vez disse que “a coisa mais importante é lembrar disto: Esteja pronto a qualquer momento a desistir do que você é por aquilo que você pode se tornar.” Então, já é hora de desistir de ser um lixo e começar a ser um fodão. Saiba que para se fazer uma omelete devemos quebrar uns ovos. Abandone seu medo.

Ataque os pesos.

Anúncios
Esse post foi publicado em Motivação, Musculação e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Viva perigosamente e você viverá corretamente

  1. azothefesus disse:

    Republicou isso em Azoth Efesuse comentado:
    O preço é alto, mas, no fim, vale a pena.

    Morrer é um preço pequeno perto do alto preço de ser um frouxo.

  2. azothefesus disse:

    Daniel, parabéns. Venho acompanhando seu blog e há momentos que até desempolgo de escrever algo, tamanha é a síntese de ideias e conteúdo de qualidade.

    Meus sinceros parabéns, que blog fantástico!

    • Daniel Castro disse:

      Ora Azoth, eu traduzo muitos textos, dos melhores do mundo sobre os meus assuntos preferidos. Às vezes eu mesmo sinto desânimo em escrever textos próprios, mas considero os teus textos de um nível excelente também.

      Abraços desde Minas Gerais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s