“Coma como um predador, não como uma presa”: A dieta paleo em seis passos simples, um guia motivacional

por J. Stanton, o original está aqui.

Tradução: Daniel Castro

Este artigo existe por uma simples razão: Perguntam a mim, repetidas vezes, “Então, como essa ‘dieta paleo’ funciona?” E eu quero dar às pessoas uma resposta que é simples, sólida, e acima de tudo, motivacional. Eu quero que você termine este artigo e pense “Sim! Eu entendi, e eu posso fazer isto.Aqui está: um guia passo a passo, mais ou menos em ordem de importância. Faça progresso em qualquer ritmo que você conseguir. Não se preocupe com adesão perfeita, ou fique obcecado em chegar ao final da lista: qualquer progresso que você fizer provavelmente irá melhorar a sua saúde, humor e capacidade física. Itens “não coma” estarão agrupados com itens “coma mais” a cada passo, então você sempre terá algo para comer. Vamos lá! Primeiramente, nossa filosofia guia:

Coma como um predador, não como uma presa.

Predadores se banqueteiam e jejuam; presas comem o tempo todo. Refraseado para humanos modernos: predadores comem refeições, presas lancham. Isto significa que você precisa comer refeições que irão te sustentar até a próxima refeição, mas que não te deixarão cansado ou sonolento. Aqui vai como!

Passo 1: Coma carne, não semente de passarinhos
  • Coma mais carne. Se não for carne, não é uma refeição.
    • Prefira ruminantes — animais que comem grama e folhas. (Isto significa carne vermelha: boi, ovelhas, cervos, bodes.) Ruminantes são muito melhores em converter plantas em ácidos graxos essenciais, proteínas completas, e nutrientes biodisponíveis do que humanos são capazes.
    • Compre carne de animais que comeram grama sempre que possível: é melhor para você, e melhor para a Terra. Vacas não evoluíram para comer milho e soja melhor que humanos evoluíram.
    • Compre carnes gordas, e ocasionalmente, órgãos. Não evite gordura animal! Se você tentar, vai ficar faminto querendo comer comidas lixo com gorduras ruins.
    • Porco e galinha são permitidos em moderação, mas são muito menos saudáveis devido a um conteúdo excessivo de ácidos graxos omega-6.
    • Francamente, você poderia parar por aqui, assim como muitas culturas nativas fizeram: enquanto você estiver comendo órgãos, tutano e carnes gordas de animais ruminantes alimentados com grama provem 100% de sua necessidades nutricionais. Mas a maioria de nós gosta de mais variedade em nossas dietas — e alguns vegetais e frutas oferecem benefícios tangíveis à saúde, mesmo que eles não tenham calorias significativas.
  • Coma mais peixes e frutos do mar. Prefira peixes gordurosos como cavalinha, sardinhas e salmão selvagem, mas tome cuidado com o conteúdo de mercúrio: mantenha seu consumo de atum, tubarão e outros carnívoros baixo. (A tabela de conteúdo de mercúrio da FDA está aqui.) Em um mundo paleolítico nós poderíamos comer todo o peixe que quiséssemos… mas nós poluímos tanto a Terra inteira (principalmente queimando carvão para obter energia) que uma de nossas comidas mais saudáveis agora está universalmente envenenada. Bom trabalho, ‘civilização’.
  • Não coma nada feito com ‘farinha’. Nada de pães, massas, cereais, biscoitos nem rosquinhas. Ponto. Este é o passo mais importante. Farinha é feita de sementes amassadas. O quê come sementes? Pássaros e roedores. Se algo é venenoso para humanos até que nós transformemos em farinha e cozinhemos, e se causa deficiência de minerais e defeitos congênitos a menos que adicionemos vitaminas, não é comida. (Leia mais sobre lecitinas, ácido fítico, e o papel de grãos em doenças autoimunes e doença cardíaca.)
  • Não beba a sua comida. Nada de refrigerantes (mesmo os diet), nada de isotônicos, leite, ‘leite’ de soja, vitaminas, suco de frutas, iogurte ou sucos de vegetais. Chá, café e mate são aceitáveis em moderação. Aprenda a beber água: uma vez que você se acostumar, você vai descobrir que refrigerantes e sucos não mais matam sua sede. (Você poderá adicionar pequenas quantias de laticínios e sucos de frutas e vegetais frescos depois, se você tiver alcançado seus outros objetivos.)
  • Não coma açúcar comum, ou seus equivalentes. Isto inclui eufemismos como “xarope de arroz integral”, “néctar de agave”, e meu favorito, “sólidos de suco de cana evaporado.” Isto é açúcar! Meu deus. Até mesmo o mel é basicamente açúcar, embora ele tenha propriedades medicinais úteis. Adoçantes também são proibidos, assim como os estranhos açúcares de álcool (NT.: xilitol, maltitol etc).
  • Consuma carboidratos (açúcares) de plantas —não de suas sementes. Prefira comidas com relativamente mais glicose e pouca frutose, particularmente tubérculos como batatas, e somente coma o que o seu corpo precisar: de 15 a 20%das calorias é o bastante. (Você quer perder gordura? Então você precisa acostumar seu corpo a queimá-la para produzir energia.)

    Importante! Se você se mantiver ativo e não preocupado em perder peso (ou ganhar), você irá comer mais carboidratos do que a média das pessoas que estão tentando perder peso. A nutrição esportiva está além do escopo deste artigo… mas em geral, eu penso que comer ocasionalmente mais amido, quando necessário para repor glicogênio muscular, é melhor que uma dieta com muitas massas, “barras de cereais”, e outras comidas-lixo açucaradas. Basicamente, se você se sentir com pouca energia durante esforços intensos, tente aumentar seu consumo de amido (sem glúten).

    Não se esqueça de batatas doces, sagu, taro, mandioca e tapioca… e sempre descasque as batatas, é lá que a solanina fica. Se você tiver que comer semente de passarinho, arroz branco é o menos ruim dos grãos… mas dê a si mesmo umas duas semanas para verificar se você está sentindo sintomas de abstinência, ou se você realmente precisa de comer sementes estas regularmente. Lembre-se, carne gorda é sua principal fonte de calorias e nutrientes. Alguns livros e fontes paleolíticas mais famosas se desviam e usam eufemismos sobre isto. Você é um predador: coma como um.

Parabéns! Você acabou de fazer algumas enormes e positivas mudanças em sua vida. Você pode passar por períodos de abstinência de pães e cereais, com períodos em que você fica louco por eles. Isto é absolutamente normal: você estará forçando seu corpo a aprender a queimar gordura novamente, porque ele está acostumado a queimar todo o açúcar (‘carboidratos’) que você tem comido. Porém, você provavelmente já está notando um aumento de energia, uma diminuição do cansaço após as refeições, e menos vontade de lanchar. Mantenha-se no alvo! As vontades irão se dissipar, mas os benefícios não. A melhor parte de uma dieta paleo é que você não tem de medir ou anotar nada: nada de contar calorias, pontos, ou proporção de macronutrientes. Coma comida de verdade, e você não terá de se preocupar em parcelar seu vício em porcarias.

Passo 2: Coma comida, não Diesel
  • Compre carnes gordas, e as cozinhe com a gordura. Se você precisar de encher a carne de manteiga para que ela tenha um gosto bom, ela está muito magra. Eu sempre rio quando vejo pessoas fazendo sanduíches com hambúrguer sem gordura ou peito de frango sem pele — e então cobrindo-os com queijo ou maionese porque eles ficaram muito secos! Dica: peça ao açougueiro por pedaços não retalhados de carne. Normalmente eles são mais baratos.
  • Cozinhe com manteiga, óleo de coco e sebo de animais bem alimentados. Estas são gorduras saudáveis: elas não oxidam ou polimerizam durante o preparo de comida do mesmo jeito que óleos vegetais, não contêm gorduras trans escondidas, e eles têm de pouco a nada de ácidos graxos omega-6. Eu desencorajo a banha a menos que seja de porcos bem alimentados: a banha de porco comum é usualmente hidrogenada (= gorduras trans), e banha de porcos alimentados com grãos tem muitos ácidos graxos omega-6.
  • Cozinhe com ovos, e sempre coma as gemas. (NT.: eu fiz recentemente um curto post sobre ovos, que você pode ler aqui) Claras de ovos são somente proteína… a nutrição está toda na gema. E poucas comidas não melhoram com a adição de um ovo frito.
  • Não coma “óleos vegetais”. O termo em si é uma mentira. Não existe nada como “óleo de alface” ou “óleo de brócolis”. Eles são feitos de sementes, e são extraídos usando solventes orgânicos venenosos (hexano). Lembre-se: se você puder colocar em um caminhão e ele pegar, não é comida.
    • Isto significa nada de batatas fritas ou qualquer outra comida frita em imersão; nada de salgadinhos de batata ou milho (ou quaisquer salgadinhos do tipo ‘chips’); nada de margarina, ou outros substitutos bizarros para manteiga; nada de maionese (ou, pior, Miracle Whip (NT.: um similar da maionese, vendido nos EUA)); e você pode ignorar basicamente toda a seção de lanches rápidos.
    • Esta proibição inclui granola, que é nada mais que sementes de passarinho ligadas umas às outras com óleo e açúcar. “Nozes” de milho e amendoins  wasabi são cobertos de óleo também: francamente, nada que venha nessa embalagens é comida. Uma das melhores coisas que você poderá fazer por sua saúde é evitar tudo na parte de comidas saudáveis do supermercado.
    • Azeite extra-virgem, queijo, abacates e nozes são tudo bem em moderação… pense neles como condimentos, e não como ingredientes. Se você precisar comer uma lata de nozes ou um pedação de queijo, você não comeu carne o suficiente.
    • Creme de leite, nata, iogurte integral (não o doce inútil chamado iogurte desnatado), chantilly servem para molhos, condimentos e sobremesas deliciosas, e devem ser usados em moderação. Mas lembre-se que carne gorda é sempre sua fonte principal de calorias.

Muito bem! Você deu outro grande passo em direção a uma melhor saúde e mais vitalidade. Você não mais está se arrastando pela vida como uma gazela machucada, esperando as mandíbulas da morte em seu pescoço a todo momento. Você está se tornando menos saboroso e mais perigoso a cada dia que passa. Sim, todos nós precisamos de apoio moral quando nós abandonamos salgadinhos de batata e milho. Mas você não preferiria comer uma omelete no café da manhã, e não ter que lanchar depois? Manteiga, ovos e óleo de coco têm um gosto muito melhor do que óleos de sementes e de saladas… e após usá-los por um tempo, você vai começar a perceber que óleo de canola tem um cheiro horrível, e que sua comida estará muito menos oleosa apesar de conter muito mais gordura. Mais importantemente, agora que você não estará mais comendo enormes pratos de açúcar (‘carboidratos’) e óleos de semente, você vai perceber que grandes refeições não te fazem dormir. Você também perceberá que será muito mais fácil ficar sem comer, agora que seu corpo esta se reacostumando a queimar gordura. Em suma, você terá mais horas úteis em seu dia agora que você não está as desperdiçando um coma causado pela comida, ou constantemente lanchando para não ficar hipoglicêmico — o que mais que compensa o tempo extra que você gastará cozinhando e comprando comida. Além disto, comprar comida é rápido e fácil quando os únicos lugares aos quais você precisa ir são a parte de carnes, a de salada, o refrigerador de laticínios e a prateleira de temperos.

Passo 3: Suplementos para um mundo imperfeito
  • Considere suplementos de vitamina D3. Nossos corpos produzem vitamina D3 naturalmente através da exposição ao sol…mas os humanos do paleolítico não tinham de viver e trabalhar dentro de construções. De 2.000 a 4.000 UI por dia é, pelo que eu entendo, um bom começo para a maioria dos adultos quando eles não tomam sol o suficiente. Testar seus níveis de calcifediol irá te dizer se sua dosagem está correta: De 45 a 60 ng/mL é aparentemente um bom nível.
  • Considere suplementos de EPA e DHA (“omega-3″). Os óleos de sementes e a carne de animais alimentados com grãos que às vezes somos forçados a comer ou tem muitos ácidos graxos omega-6, pró inflamatórios, ou menos ácidos graxos omega-3, anti-inflamatórios, do que carne de animais alimentados com grama. 1g por dia de EPA e 0,5g de DHA podem ser bons se você não tiver comido nenhum peixe oleoso no dia; mais se você estiver grávida ou amamentando. Note que é muito melhor minimizar o consumo de omega-6 eliminando óleos de sementes e reduzindo o consumo de nozes, do quê “balancear a proporção” com quantidades patológicas de óleo de peixe.
  • Óleo de linhaça (ALA) não é um substituto aceitável. Nossos corpos são muito ineficientes (menos de 1%) em convertê-lo para o DHA de que precisamos. Além disto, ele é polidor de móveis, e polidores de móveis não são comida.
  • Considere suplementos de magnésio quelado. Até as últimas poucas décadas, humanos bebiam água não tratada, do solo ou de poços, usualmente com muitos minerais — mas o tratamento moderno os retira da água encanada. As formas biodisponíveis de magnésio, e as que você deve comprar, são quelados: qualquer que tenha o nome terminando em “-ato”. Citrato de magnésio tem um efeito laxativo que algumas pessoas não toleram bem — em cujo caso os malato, glicinato e orotato de magnésio serão superiores. A dose diária recomendada de 400 mg por dia é um bom começo. (Evite óxido de magnésio, encontrado na maioria dos suplementos e multivitamínicos, porque ele não é biodisponível.)
  • Eu não sou um médico, e você é responsável por sua própria saúde. Faça sua própria pesquisa, e se notar efeitos colaterais, use o bom senso. O que seu corpo te comunica é mais importante do que um site te comunica.

Se você chegar até aqui, você está indo muito bem — e você estará muito mais saudável do que se estivesse seguindo a dieta padrão americana, mesmo se você não tiver perdido peso. (Mas provavelmente você irá.) Você também irá perceber, ao longo do tempo que você estará mais feliz e menos deprimido, que seus problemas de pele e alergias estão mais amenos ( ou acabaram), e que você queima menos no sol.

Passo 4: Jogue como um predador
  • Jogue duro, trabalhe duro, se desafie, e então descanse. Levante objetos pesados, corra até perder o fôlego, suba em árvores e pule de volta, chute bolas, e as mande em cestas. Retire neve com pás, cave sujeira, corte lenha. Pratique agilidade assim como força e resistência. Pessoas vão te encarar se você estiver fazendo tudo certo. porque você estará se divertindo — não se arrastando pela estrada com ‘tênis de corrida’, com os olhos vazios de uma presa sendo comida viva por hienas. O mundo é seu parque de diversões! (E se outras pessoas não se aproveitam disto, o azar é delas.)
  • Não ‘se exercite’, não ‘faça cardiovasculares’. O único modo de melhorar é expandindo seus limites. Você vai perder mais peso e ganhar mais força com sessões periódicas de exercícios curtos e intensos do que de horas de ‘cardio’. Você é um humano, e não um hamster; saia da esteira! Seriamente: dirigir para o trabalho, então dirigir para a academia para pedalar uma bicicleta que não vai a lugar algum? Imagine isto: a cada vez que você tiver fome, você e seus seis amigos mais próximos têm de perseguir um antílope ou atacar um mamute — e se você não puder, nenhum de vocês terá nada para comer. Esta é a intensidade necessária.
  • Se você precisar de ‘se exercitar’, faça exercícios com o peso do corpo, e arranje algumas anilhas e halteres. Deste modo você poderá terminar uma sessão de treino antes mesmo de chegar à academia. Nosso objetivo é saúde e bem estar. Um corpo de academia é muito mais trabalhoso. (Faça se você quiser, eu admiro aqueles com a dedicação para se esculpirem — mas não é necessário.) Lembre-se, você deve fazer sessões periódicas de exercícios curtos e intensos durante o dia: você não irá à academia três vezes ao dia. Nota: Se você realmente gostar de, com certeza levante muito peso e fique forte. Especialmente mulheres: você não vai se tornar subitamente o Arnold Schwarzenegger do anos 70 só porque você faz agachamentos, e um homem que pensa que você é “muito musculosa” porque você não se parece com uma viciada em heroína é fraco, inseguro e não merece seu tempo.
  • Pare de tentar ‘economizar energia’. Faça do esforço físico parte de sua vida. Não perca tempo olhando para a vaga de estacionamento mais próxima: Simplesmente estacione e ande Suba escadas. Tire sua própria neve, corte sua própria lenha. A menos que você seja um trabalhador braçal, você realmente precisa de uma chave de fenda elétrica?

Parabéns! Você colocou todas as peças juntas. Provavelmente você estará dormindo melhor agora que você está regularmente se esforçando fisicamente. Você está pensando no mundo como seu parque de diversões, e vendo seus arredores familiares com novos olhos. E agora que seus sintomas de abstinência da retirada da dieta padrão acabaram, você está se sentindo mais energético — e pensando mais claramente devido à ação da grelina, agora que ficar com fome não te deixa lento e hipoglicêmico. Em outras palavras, seu corpo está finalmente — talvez pela primeira vez — começando a funcionar como ele deve. Agora que você está fisicamente mais forte, você se descobrirá emocionalmente e mentalmente mais forte também. Você está menos disposto a engolir sapos, e mais propenso a tomar o crédito que por aquilo que você merece. Você está começando a entender como é se sentir como um predador, em vez da presa que você foi por tanto tempo. Você provou o poder, e ele é delicioso. Você quer mais.

Passo 5: Otimização

Agora nós vamos só amarrar as pontas soltas. Alguns de vocês podem nunca chegar até aqui, alguns acharão que não fará muita diferença e voltarão aos passos anteriores, e alguns poderão achar aqui a chave para a saúde ótima.

  • Remova quaisquer grãos remanescentes de sua dieta. Eles devem ter sido quase que totalmente eliminados por agora, mas se você ainda estiver comendo milho, aveia, ou quaisquer ‘grãos saudáveis’ falsos como kamut ou amaranto, largue eles. Absolutamente elimine todos os grãos com glúten de sua dieta: trigo, cevada, centeio, espelta. (Você já deve ter feito isto no passo 1, mas pessoas sempre arranjam um jeito de inventar ‘berries de trigo’ (NT.: No Brasil a praga são as famosas barras de cereais) ou outro nome eufemístico para sementes. E o glúten se esconde em diversas coisas que você nem imagina.)
  • Remova quaisquer feijões remanescentes de sua dieta. Isto é usualmente fácil se você estiver consumindo gorduras e proteínas de carnes o suficiente. Como grãos, feijões (NT.: feijão comum, soja, amendoim) são sementes — e eles são para pássaros e roedores, não para humanos.
  • Remova todo o lixo remanescente de sua dieta. Existem diversão não-comidas que tecnicamente não são pegas nas regras acima. mas que você sabe perfeitamente que são lixo. Eu não vou enumerá-las, porque existem milhares… mas se algo tiver mais de uma embalagem, contém algum ingrediente que você não entende, alega beneficiar a saúde no rótulo, ou é uma versão falsa de outra coisa, não é comida.
  • Experimente com remover laticínios de sua dieta. Leite já está fora mas algumas pessoas se sentem melhor sem queijo, iogurte ou creme de leite. (Manteiga é basicamente 100% gordura, então é muito improvável que ela cause problemas para quem quer que seja.) Em geral, quanto mais gordura, menos caseína e lactose, e menos a chance de problemas.

Agora que você está esbelto, poderoso, e perigoso, você está se sentindo bem satisfeito consigo mesmo. Você acorda bem descansado, sem dores, e sabe ser capaz de perseguir, matar e comer quaisquer problemas que o dia irá trazer. Ainda assim, você deve permanecer cuidadoso, porque um parasita insidioso se alimenta de seu orgulho e mina sua força: A complacência.

Passo 6: Nunca pare de caçar
  • Esforce-se mais e de maneiras novas. É fácil ficar preso a uma ‘rotina de treino’. Explore algum lugar novo. Aprenda uma habilidade na qual você é ruim. Jogue e pegue as bolas com sua mão ruim. Tente um esporte de times se você for individualista, e vice-versa. Crie objetivos que você ainda não tem certeza se consegue alcançar.
  • Se você vai sair da dieta, saia com algo delicioso, com porção limitada, ou com algo muito caro para ser comido regularmente. Eu como uma Reese’s ou bebo uma Coca-Cola antes de comer massas ou pão, porque elas são embaladas individualmente. Uma vez que você abre um pacote de biscoitos, todos eles vão ser comidos, e nós dois sabemos disto. E eu nunca vou largar o sushi, porque me importo mais com o toro do que com os últimos 0,1% de gordura corporal.
  • Seja cético com todos os tipos de conselhos sobre dietas. Qualquer um pode escrever um livro de dietas — e maioria delas faz a nutrição tão complicada que você vai continuar comprando livros e indo a encontros. Lembre-se que estudos observacionais não necessariamente contam se algo é saudável de se comer: eles te contam se pessoas saudáveis daquele estudo comeram aquela comida. Abstratos e conclusões muitas vezes distorcem os dados. E comparações são entre as coisas ‘absolutamente terríveis’ (grãos refinados, açúcar, gorduras trans) e ‘menos ruins’ (grãos integrais) — o que não significa que ‘menos ruim’ seja na verdade bom para você, nem que o motivo da culpa dos ‘absolutamente terríveis’ seja o que eles digam que é.
  • Ouça seu corpo. Uma vez que você estiver funcionando em um nível alto para discernir a diferença, você entenderá o que está te ajudando e o que está te machucando —não só o que está alimentando seus vícios. Faça mudanças individuais e avalie os efeitos antes de seguir em frente: não mude várias coisas ao mesmo tempo, ou você nunca saberá o que está fazendo o que. Se você for fisicamente ativo, vai precisar de um pouco de glicose (amido) em sua dieta para manter seu peso estável e seus níveis de energia altos durante exercícios pesados. E se seu corpo pedir algum vegetal aleatório, coma! Você pode precisar de alguns micronutrientes.
  • Sua vida e sua saúde são suas. Você é responsável por elas em todos os aspectos. Não deixe os artigos de ‘notícias’ te dizerem que um produto industrial novo é a chave para a melhor saúde, ou o que humanos comeram por milhões de anos irá te matar. Suspeite de seu governo, que gasta bilhões de dólares a cada ano subsidiando as empresas agrícolas para produzirem milho, soja e trigo, e te diz para comer mais milho, soja e trigo. E sempre lembre que ruminantes são muito melhores em converter plantas em ácidos graxos essenciais, proteína completa e nutrientes biodisponíveis do que humanos —ou nossas fábricas.
Conclusão: Vivendo como um predador

Carnes gordas são, literalmente, o que nos fez humanos. O DHA, proteínas completas, e a simples densidade calórica das carnes gordas permitiram a macacos de 30kg da savana com minúsculos cérebros de 350cm³, inteligentes o suficiente só para fazerem rochas mais afiadas ao bater umas nas outras, crescerem até se transformarem em humanos modernos— com gigantescos cérebros de 1400cm³ que gastam 20% das calorias que ingerimos! E nós não conseguimos carnes gordas somente através de carniçaria, porque leões, tigres, lobos, hienas gigantes e tigres de dentes de sabre as conseguiam primeiro. Nós as conseguíamos sendo os predadores mais efetivos da Terra. Agora que você come como um predador há algum tempo, você está descobrindo que quando você come como um predador, e joga como um predador, você começa a pensar como um predador. Pessoas estúpidas não são incômodos: elas são centros de lucratividade. Pessoas gordas não são mais nojentas: elas são deliciosas. E nada é mais importante que ser capaz de confiar em seus parceiros de bando, então é hora de cortar todas as sanguessugas, chorões e mal-agradecidos — e já passou da hora de começar a dar valor às pessoas sólidas e confiáveis que merecem isto. Você parará de dar seu tempo, amor, e força àqueles que o demandam, e começará a dá-los àqueles que merecem. Você vai entender que ‘ame o próximo como a ti mesmo’ não se aplica a alguém com as mãos em seus bolsos ou com uma arma em sua cara, não importa que autoridade elas aleguem possuir. Você terá compaixão pelo rebanho enquanto eles balem, porque você até recentemente era uma das ovelhas. E você irá compartilhar seu conhecimento, porque você entender que nossos inimigos reais são predadores que guardam este conhecimento para eles próprios, os predadores que lucram tanto com nosso medo e ignorância — e de nosso amor indiscriminado, cujo fim é se tornar uma maluca mulher dona de vários gatos, morta em sua casa condenada, com o corpo devorado pelas criaturas que ela alimentou em vida. Agora jogue fora aquelas pizzas congeladas e os Vigilantes do Peso para fora de seu freezer e as dê ao seu vizinho gordo, porque você vai ao supermercado agora. E você vai pegar um carrinho de comprar, não uma cestinha pequena, porque você vai enchê-lo com CARNE pesada, gorda e deliciosa. Viva em paz, viva o belo. JS

Postscript: Mais informações

A primeira objeção que eu sempre escuto é (NT.: E eu também) “Mas…mas…você come tanta gordurassaturadaqueentopeasartérias!” Mentiram para nós por décadas: grãos e seus produtos são o que nos engordam, gordura saturada é boa para você, e o colesterol foi condenado por crimes que não cometeu. O blog de Tom Naughton “Big Fat Fiasco” (também no youtube) destrói estes mitos, (NT.: em português, sugiro o blog do J. Souto) mas a ciência encheria um livro inteiro. (Que Gary Taubes escreveu: Good Calories, Bad Calories (NT.: Em português foi lançado recentemente o livro Porque Engordamos, do mesmo autor. O livro citado pelo autor do artigo é mais jornalístico, e eu considero o melhor que já li sobre ciência nutricional) contém uma longa história de como a errônea hipótese da gordura-colesterol tomou a ciência e a política do governo como reféns— e enquanto eu não concordo que carboidratos são os únicos responsáveis por nos engordar, a argumentação dele permanece de primeira categoria.) Se você quiser entender mais sobre a ciência de porque eu como do jeito que como, eu recomendo o livro do Dr. Paul e doe Dr. Shou-Ching Jaminet, Perfect Health Diet. (Eu o resenhei aqui.) Para mais livros que explorem a ‘paleo’ em profundidade—e a ciência e a filosofia sob ela—visite a lista de leituras recomendadas. Se você tiver algum tópico específico que quiser olhar, tente o Primal Blueprint 101 no site Mark’s Daily Apple. Imaginando o que cozinhar? Aqui vai um guia simples: The Paleo Scramble. Existem também receitas aqui, e aqui. Abaixo vai uma lista de blogs (em inglês)

Finalmente, no site do autor do texto, gnolls.org, existem muitas boas informações. Importante! Eu preciso dizer que não existe consenso, nem entre todos estes a quem eu me referi, sobre o que constitui, a dieta paleo, ou mesmo comida saudável . Eu chamo meu tratamento de “paleo funcional”—e defino ela em detalhes no post “What is the Paleo Diet, Anyway?” ( O que é a dieta paleo, afinal?)

Você achou este guia útil, educacional ou inspirador? Então provavelmente irá gostar de meu livro “Engraçado, provocador, divertido, e profundo,” The Gnoll Credo. Leia  revsenhas, as parimeiras 20 páginas, e o compre aqui.)

Anúncios
Esse post foi publicado em Motivação, Nutrição, Saúde e marcado . Guardar link permanente.

8 respostas para “Coma como um predador, não como uma presa”: A dieta paleo em seis passos simples, um guia motivacional

  1. Pingback: A carne apodrece em seu cólon? Não. O que apodrece? Feijões, grãos e legumes! | Nuvem de giz

  2. Artigo interessante.Sempre tive duvidas sobre o assunto. Posso estar errado nos meus pensamentos, mas esse tipo de dieta me pareceu menos dura de ser seguida.

  3. Bruno Freitas disse:

    Constantemente eu volto neste post, para fins de motivação. Obrigado. Oss!

    • Daniel Castro disse:

      Bruno,

      Antes de eu traduzir os post do Jamie Lewis, eu sempre fazia isto também. Dê uma conferida nos posts marcados com o nome dele que você vai gostar. Quanto ao J. Stanton, ele anda meio parado, mas como tem muita coisa boa no blog dele talvez eu volte a traduzi-lo. Oss!

      Daniel.

  4. Bruno Freitas disse:

    Boa tarde! Você teria informações sobre paleo low-carb para esportistas? Obrigado!

    • Daniel Castro disse:

      Bruno, dê uma olhada nos posts marcados com a tag Dieta do Predador Alfa, e no post Dieta Paleolítica para Atletas. (Só procurar na caixa de pesquisa).
      Quaisquer dúvidas específicas pode perguntar que eu respondo nos comentários também.

      Daniel.

    • Daniel Castro disse:

      Eu utilizei a dieta cetogênica durante um bom tempo, enquanto praticava musculação (sem cardiovasculares), com perda significatova de gordura subcutânea (de 9% a 6% em pouco tempo), e significativos ganhos de massa magra e força concomitantes.
      Já para esportistas com alto volume de cardiovasculares, um uso moderado de carbos é mais indicado (leia o post Dieta Paleolítica para atletas, que mencionei acima para entender porque).

  5. Pingback: Como os grãos “saudáveis” nos engordam | Nuvem de giz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s