Jonathan, o Ingênuo

Ludismo, democracia, licenças para operar, impostos, quotas de produção, concorrência “leal”, tragedia dos comuns, protecionismo, falácia da janela quebrada, tragédia dos comuns. Estes são somente alguns dos temas que o livro “As aventuras de Jonathan Gullible trata, em forma de romance. O livro conta a história do personagem que dá título ao livro, um ilhéu que, assim como Robinson Crusoé, se perde em uma tempestade e vai parar em uma outra ilha. A medida que Jonathan vai conhecendo a ilha várias histórias vão sendo contadas, sempre mostrando de forma sutil vários práticas econômicas aceitas por muitos como benéficas, e demolindo tais conceitos no processo. Por exemplo, logo no segundo capítulo, é contada a história de uma lenhadora que desenvolveu um método mais eficaz de corte de árvores sendo presa, sob a justificativa de que ela estaria colocando empregos em perigo. De fato, empregos estariam sendo colocados em risco, mas também o custo da madeira cairia, beneficiando a sociedade de forma geral.

Mas, ao contrario do épico A revolta de Atlas, de Ayn Rand, o livro de Schoolland é sucinto, não passando de 150 paginas. Ainda assim, os temas tratados, são descritos de maneira clara, que mesmo em uma média de 3 a 4 paginas para cada, o leitor sai sabendo muito mais do que sabia antes de começar o capítulo. O segredo aqui é a simplicidade, nada de divagações ou de detalhes, mas somente o cerne de cada assunto é mostrado e convincentemente. Outro ponto interessante, é a conexão entre os temas econômicos e os temas políticos. Apesar de ser “Uma odisséia de livre mercado”, o livro de Schoolland junta os princípios libertários, mostrando claramente os defeitos da democracia moderna, porque a política sempre serve a interesses dos próprios políticos enquanto o povo é enganado etc..

Em seu fim, para o caso de o leitor continuar sem entender o que todas suas parábolas significam, o autor faz uma inspirada defesa dos princípios libertários, que por si só vale a leitura. Enfim, junto ao clássico Economia em uma única lição, de Henry Hazlitt, este livro é uma das melhores introduções disponíveis para a aquela que foi chamada de Ciência Sombria.

PS.: Infelizmente não achei pdfs em português, mas somente em espanhol e inglês:

http://www.miseshispano.org/2012/01/las-aventuras-de-jonathan-gullible

http://www.jonathangullible.com/translations/UK_Comnt040222.pdf

Anúncios
Esse post foi publicado em Economia, Livros e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Jonathan, o Ingênuo

  1. Irei ler, com certeza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s