Nunca Conceda o que é Mais Importante

Por Quintus Curtius, o original está aqui.

Tradução por Daniel Castro.

Há uma fábula de Esopo que envolve o comportamento do castor. Em tempos antigos, os castores eram muitas vezes caçados por seu óleo aromático, conhecido como castorea, que era encontrado em bolsas perto de sua área genital.  O castor gosta de esfregar suas partes traseiras em árvores e toras, assim as marcando com seu cheiro; e este cheiro aparentemente tinha um aroma prazeiroso aos humanos, com a fama de se parecer com baunilha. Os antigos erroneamente pensavam que o valioso aroma vinha do escroto do castor, ao invés das bolsas internas especiais próximas à genitália.

Esopo disse que o animal entendia a razão pela qual ele era caçado pelos humanos, e quando perseguido, pararia para morder e arrancar seus genitais e jogá-los no seus perseguidores, deste modo salvando sua vida. A lenda parece ridícula, mas teve uma longa vida. A encontramos na História Natural de Plínio (VIII.47.109), onde ele diz dos castores da região do Mar Negro: Easdem partes sibi ipsi Pontici amputant fibri periculo urgente, ob hoc se peti gnari; castoreum id vocant medici. Manuscritos de bestiários ilustrados da Idade Média contém ilustrações dessa estranha lenda de auto-mutilação.  Em Latin há duas palavras para castor, castor e fiber; a palavra grega para esse animal era castor, e há uma palavra em sânscrito que é essencialmente a mesma, kasturi.

Eu não conheço a origem deste mito em particular; talvez os castores fizessem alguns movimentos impulsivos ou entrassem em pânico quando perseguidos, o que pode ter levado caçadores da época a concluir que ele estaria cortando seu órgão valioso.  O que nós sabemos é que Esopo estava tentando usar este exemplo de “comportamento” animal para fazer um ponto moral. Ele estava tentando alertar seus leitores que, se alguém precisar salvar sua vida ou bens preciosos, ele deveria sem hesitação abandonar os bens. Claro que isto é conselho bom, e é um ponto feito por escritores tanto antigos quanto modernos.

Mas o ponto de Esopo fica turvo no contar da história. A fábula é bem opaca, e alguém poderia facilmente propor interpretações alternativas. Eu poderia chegar a dizer que Esopo não percebeu uma lição mais importante: com isso quero dizer que um homem nunca deve conceder ou abandonar aquilo que o define, o que é mais importante para ele. Esopo pegou um exemplo excessivamente ruim quando ele escolheu os genitais de um castos como algo que poderia ser aprovadamente abandonado para salvar sua vida.  Por que o quê simboliza o macho da espécie, que o permite passar á frente sua herança genética, mais do que sua genitália? Bens materiais são algo bem diferente; eles podem sempre ser reconquistados, mas o órgão masculino, não. Nós nem precisamos usar um exemplo tão extremo como genitais. A integridade e honra de um homem podem ser consideradas sua essência; tudo o que ele tem realmente nesse mundo é seu bom nome. E isto nunca deve ser “cortado” e concedido ao inimigo. Por que quando isso acontece, ele não tem nada mais. Então eu gostaria de propor que virássemos a fabula de Esopo de ponta a cabeça, para tentar corrigi-la: Eu digo que um homem nunca deve conceder aquilo que constitui sua essência.

Podemos ilustrar esse ponto melhor considerando um exemplo histórico. Nos anos 1750s, o Marquês de Pombal subiu ao poder em Portugal. Ele era um homem de energia e resolução incomuns, e tinha uma visão de modernizar o país que era única e obsessiva. A ordem Jesuíta havia há muito dominado a educação e política no país; Pombal os via como um grupo reacionário que estava bloqueando reformas muito necessárias. Ele resolveu se mover contra eles na oportunidade mais breve. O rei português, José I, não era páreo para ele; logo, Pombal o alistou em seus planos, e usou sua aprovação real para avançar sua agenda. Continuar lendo

Publicado em Desenvolvimento pessoal, Filosofia | Marcado com , , , | 2 Comentários

A Destruição da Cultura – Partes 3 e 4

Parte 3: A Cultura Popular é Cheia de Falsidades e Falsos Ídolos:

Em seu livro Consilience (1998), E.O Wilson nervosamente denunciou esquerdistas radicais em universidades, e pós-modernistas corrompendo pesquisas acadêmicas.

Agora, mais de 20 anos depois, todo mundo fala sobre isso. Por que demorou tanto? Precisaram as pessoas ouvir sobre isso de Joe Rogan?

Coisas ruins podem ficar não detectadas ou não checadas por um loooongo tempo na cultura popular. Por quê? Porque os incentivos para pará-las não são suficientes (muito dinheiro a se fazer com uma grande mentira, nem tanto ao se provar que algo está errado; especialmente se você estiver colocando sua reputação em jogo, e houver lobistas cujo trabalho é destruí-lo).

A cultura popular provavelmente irá tender para o ruim, errado, e depravado – do que para o que pode ser considerado “bom” ou virtuoso.

Sempre é necessária uma massa crítica para aumentar a percepção sobre mentiras e concepções falhas fora de um minúsculo grupo de pessoas “que sabem”, fora do qual mudanças positivas podem emergir.

A cultura popular nunca será ótima, ela não pode ser policiada.

Existem retardados demais.

A Cultura Popular é um Lodo Lamacento que se Move Devagar

A cultura popular tem seus defeitos.

De fato, não consigo pensar em nada bom sobre ela agora.

A cultura popular é uma repetição das bobagens e histórias mais básicas.

Isto é evidente pela repetição de notícias chocantes por âncoras e fofocas mundanas por anfitriões de talk shows sentados em seus sofás.

De algum modo, as pessoas são condicionadas a acreditas que tais tópicos valem a pena serem mencionados. De novo e de novo e de novo e de novo e de novo e de novo e de novo.

Mas o que é pior que isto? Aquilo que não é mencionado. 

–Desde os tópicos censurados devido ao politicamente correto, a opiniões editoriais, e interesses financeiros. E recentemente: “Deplataformização”

Mas você sabe o que é ainda pior que isto?

A inabilidade da cultura popular em se adaptar a fatos cientificamente provados e dicas úteis baseadas num grande corpo de pesquisa.

A cultura popular tipicamente está 100 anos atrás do pensamento dos pioneiros, e algumas décadas atrás das pesquisas mais recentes dos especialistas.

Por que tão devagar?

Quando alguma epifania finalmente chega à corrente principal, ela geralmente é simplificada até não ser reconhecível .

O que podemos aprender com isso?

Aquilo que chega à corrente principal da sociedade, até a cultura popular, nunca deve ser tomado pelo valor de face. Devemos assumir que foi colocado ali por interesses especiais e que é perigoso para a pessoa comum; o indivíduo ingênuo que leva sua vida de um modo despreocupado, sem saber que está pegando emprestado seu senso de valores de estranhos perigosos.

A cultura popular é cheia de falsidades.

Aqui vão algumas:

Todos nós temos nossos hobbies e campos de interesse especial.

Quando foi a última vez que a mídia da corrente principal cobriu algum de seus tópicos favoritos de uma maneira justa ou completa?

Quando eu era criança, uma das poucas coisas nas quais eu tinha um conhecimento superior eram artes marciais, jogos eletrônicos e mangás. Um dia quando eu tinha cerca de 14 anos, numa sexta-feira, eu comi um grande bolo de chocolate e assistia TV. Então passav um programa sobre os garotos mais geniais da Suécia (similar a Quem quer ser um Milionário, porém com diversos concorrentes). Os garotos podiam escolher um tópico e o anfitrião fazia perguntas a eles. Um cara, que ganhou o programa, selecionou Dragon Ball como seu assunto. Eu fiquei tão enciumado. (“Por que este garoto na TV é um gênio. enquanto eu sei todas essas respostas de cabeça, e tenho notas medianas.”)

Teste de Tornassol:

O melhor exemplo é quando um fórum ou comunidade ficam muito conhecidos, e de repente todos os ignorantes chegam numa velocidade rápida e diluem a qualidade ao ponto de que você não quer mais gastar seu tempo ali.

Continuar lendo

Publicado em Cultura, Educação, Filosofia, História | Marcado com , , , , , | 2 Comentários

A Destruição da Cultura – Partes 1 e 2

Por Ludvig Sunström, o original está aqui.

Tradução por Daniel Castro. (Nota: Este texto é composto por 4 partes, todas publicadas juntas no texto original. Optei por dividir o texto em duas seções, e em breve publicarei o restante da tradução)

(Globalização, Cultura Pop, Emburrecimento, Sistema Escolar Fracassado, e Democracia Participativa)

Se pornô fosse permitido no YouTube o próximo presidente seria uma estrela pornô.

Se a canção tema daqueles que moram na homeostase é Girls Just Want to Have Fun, o tema daqueles que a superam é Push it to the Limit.

“Você observará preocupado o quanto demora para uma verdade útil ser conhecida e existir, antes de ser geralmente aceita e praticada.”
  ~Benjamin Franklin

“Infelizmente conhecimento correto e princípios sólidos não são suficientes. Uma verdade plácida pode ser eclipsada por uma falsidade excitante.”
~Alduous Huxley

 

Parte 1: A Cultura está se Aprimorando?

Um dos críticos mais interessantes da cultura popular é Alan Moore.Você pode conhecê-lo como o criador de Watchmen. Numa entrevista que assisti no YouTube, ele disse:

Nós tínhamos a Beggars’ Opera (NT.: Ópera do Mendigo) em 1910.  Em 1969 tínhamos o filme Perfomance de Donald Cammel. Então tivemos o Harry Potter de JK Rowling no começo do século XX (NT.: sic, certamente o autor quis dizer século XXI). Todos os três foram grandes e importantes eventos culturais em suas épocas.

Se você colocar isso em um gráfico, a linha não está subindo. Eu penso que é um comentário justo dizer que nossa abordagem à cultura na corrente principal se degenerou. Os valores que as pessoas costumavam colocar num trabalho de arte, se erodiram.

Em outra entrevista (escrita), quando perguntado sobre filmes de super-heróis, ele respondeu:

Eu penso que, esta adoção de personagens que eram inequivocamente infantis quando de sua criação em meados do século XX parece indicar um afastamento das complexidades da existência moderna. Parece a mim que uma parcela significativa do público, tendo desistido de entender a realidade na qual ele vive realmente, raciocinou que ao menos ele poderia ser capaz de entender os universos espalhados e sem sentido, mas ao menos finitos apresentados pela DC ou Marvel Comics.

Eu gosto de Alan Moore, mas penso que ele está sendo um pouco duro com a DC e a Marvel.

Eu cresci lendo revistinhas como Homem-Aranha, e assisti os desenhos dos X-Men na TV.

Quando leio o Homem-Aranha agora, eu sinto um pouco de nostalgia, mas não fico excitado. Eu não revi os desenhos dos X-men, então eu não sei. Mas eu posso dizer o seguinte: meu desenho favorito da infância – O Fantasma – tem durado.

Eu não mantenho uma coleção, mas quando trombo com o Fantasma, eu ainda gosto dele. Por que? Provavelmente porque sua premissa é tão diferente. É baseada em diversos períodos históricos (de modo que você poderia inventar histórias para sempre) e ensina  ao leitor novas ideias e valores sólidos de um modo divertido.

No linguajar do marketing, o Fantasma é o exemplo excelente de um conceito “Sempre-Vivo”. Eu tenho muito respeito pelos criadores do Fantasma, e se eu tiver filhos, comprarei uma coleção grande para eles.

Agora, compare isto à Marvel.

Marvel é parte do império Disney. Disney é uma companhia interessante pelo motivo que ela em quase um monopólio sobre a cultura popular. Nenhuma outra empresa pode ocupar seu papel, pelo menos não rapidamente.

Eu assisti a um entrevista com o CEO Bob Iger, que é brilhante. Ele foi perguntando sobre o filme Pantera Negra (2017) e o que fez aprovar o projeto. Ele disse que olharam três coisas:

  1. Podemos vendê-lo globalmente?
  2. Podemos vender produtos relacionados?
  3. Podemos fazer uma franquia com ele? (filmes, séries de TV, jogos eletrônicos etc.)

A resposta era “SIM”, então eles o fizeram.

O filme Pantera Negra saiu-se bem nas bilheterias. Com um orçamento de $200M e $700M de arrecadação. Não sou um profissional em analisar filmes mas vamos estimar que o lucro líquido foi de $400M. Isto é duas vezes mais que o orçamento – 9 de cada 10 filmes jamais dão lucro – sem contar o lucro futuro baseados nos três mandamentos de Iger para a Disney.

Eu imagino que o Fantasma nunca fez muito dinheiro – se fez.

Poderia talvez fazer, mas não existem tendências polarizantes para se capitalizar, nenhuma onda grande para surfar. O Fantasma é sustentado por seu próprio brilhantismo. Não é uma aposta macro; é uma atmosfera insular. Ele vive muito e prospera, mas não se torna viral, Você provavelmente não pode torná-lo um conceito universal. Ao menos não sem tornar a premissa uma história estúpida 1-2-3.

O Fantasma é o exemplo perfeito do que Alan Moore falou quando ele mencionou “mundo infinitos”. O Pantera Negra é uma história legal que atrai pessoas negras. Felizmente, existem muitas pessoas negras no mundo todo que podem se sentir inspiradas por tal filme. A quem o Fantasma atrai? Não há um grupo alvo específico. É simplesmente uma revistinha ótima que tem o objetivo de ensinar e durar.

Continuar lendo

Publicado em Cultura, Filosofia, História | Marcado com , , , , , , , , | 1 Comentário

Organismos Geneticamente Modificados Estão nos Matando

por Isabelle Z., o original está aqui.

Tradução por Daniel Castro

Image: GMOs are killing us: Facts you probably don’t know

Você provavelmente já ouviu que os OGMs são algo ruim, e isto é totalmente preciso. – mas também é uma simplificação exagerada. Não é um caso como o do xarope de milho rico em frutose, que você pode evitar facilmente ao não comprar comidas feitas com ele. O problema é mais complexo e insidioso, e está matando pessoas e animais todos os dias.

Quando falamos sobre OGMs, nos referimos a quaisquer organismos geneticamente modificados.  Pode ser uma planta, microrganismo ou até um animal. Qualquer ser vivo cujo DNA tenha sido modificado por engenharia genética ou tecnologia transgênica para criar algo novo que não ocorre na natureza.

Você tem boas chances de encontrar OGMs no milho e soja nos EUA ( NT.: e Brasil também), e mesmo que não as coma em sua forma original, seus subprodutos podem ser encontrados em praticamente todas as comidas processadas que existem. Estas plantas são criadas para tolerar ser borrifadas diretamente com herbicidas e certos insetos resistentes. Isto significa que fazendeiros podem – fazem – borrifá-las fartamente com estes produtos químicos perigosos.

De fato, esta é parte da questão. Muitas pessoas não estão cientes do fato de que fazendeiros que usam sementes de OGMs fazem um tipo de contrato legal para usar apenas seu herbicida tóxico, o Roundup. Eles são forçados a comprar novas sementes da Monsanto todos os anos – algo que levou muitos fazendeiros à falência e levou a muitos suicídios na Índia – e a comprar mais do mortal Roundup.

Isto nos leva ao próximo fato perturbador sobre OGMs que tende a passar desapercebido: o Roundup não é ruim somente por conter glifosato; ele contem outros ingredientes que o deixam ainda mais tóxico. O glifosato por si só é inquestionavelmente perigoso, mas um ingrediente exclusivo do RoundUp, a polioxietilenamida, o torna ainda mais mortal.

Este é um agente tensoativo que aumenta a atividade do glifosato, mas também tem o efeito de permitir que ele penetre a pele humana e seja armazenado dentro da medula óssea, que é onde linfomas podem originar. No último ano, a Monsanto foi ordenada a pagar um zelador de escola com câncer terminar 289 milhões de dólares após o Roundup ter sido identificado como um dos causadores da doença; eles respondem a centenas de processos similares, relacionados à câncer.

Um estudo descobriu que estes ingredientes “inertes” ingredients no Roundup podem ser incrivelmente tóxicos para seres humanos mesmo em quantidades 100.000 vezes menor do que a dos produtos que vão para as prateleiras. Por sua vez, a Monsanto se recusa a fornecer a composição específica de seu produto alegando direitos de copyright.

OGMs não Justificam o Oba Oba

Você pode pensar que estes problemas são uma troca aceitável devido aos benefícios ganhos ao se usar OGMs, mas a verdade é que não há nenhuma evidência científica de que OGMs usados atualmente sejam responsáveis por maiores colheitas, melhor nutrição, ou resistência a secas. De fato, alguns estudos demonstraram que o uso de herbicidas aumentou enquanto as colheitas diminuíram de tamanho.

Outro ponto desconhecido é a segurança a longo prazo dos OGMs. Muitas pessoas acreditam que qualquer coisa vendida ao pública deve ter sido considerada segura antes de ir ao mercado, mas isso não tem sido o caso com os OGMs. Não houve nenhum estudo epidemiológico até agora explorando os efeitos a longo prazo dos OGMs na saúde humana, com as companhias biotecnológicas por trás da maioria da pesquisa que afirmam que os OGMs são seguros.

A FDA (NT.: Food and Drug Administration, dos EUA) geralmente não testa a segurança de comidas modificadas geneticamente, dizendo que isto é atribuição do produtor. A comida não precisa passar por testes de segurança independentes antes de ir ao mercados, e os produtores usam ao invés disso de “consultas” voluntárias nas quais empresas de biotecnologia enviam seus próprios estudos. Sem surpresas, estudos demonstraram que tais estudos têm muito maior probabilidade do que estudos independentes de chegar a conclusões favoráveis à indústria. Como eles podem manter tais condições favoráveis?

OGMs estão nos matando, enchendo nosso suprimento alimentar com sustento não natural e levando o tóxico glifosato a ser borrifado em nossa comida, chegando a nosso solo, ar e água, enquanto a FDA olha para o outro lado.

Fontes para este artigo incluem:

Survivopedia.com

USRTK.org

Publicado em Nutrição, Saúde | Marcado com , , | 4 Comentários

O Fígado Não é um “Filtro”

por Chris Masterjohn, o original está aqui:

Tradução por Daniel Castro.

 

NT.: Há uma campanha velada de demonização do fígado, a víscera mais comum em nossas dietas. Supostamente ele acumularia toxinas como um filtro. É com o propósito de desmistificar isto que vem o texto a seguir:

Por favor juntem-se a mim numa campanha global para corrigir o entendimento incorreto de que o fígado “filtra” toxinas.

Filtros removem coisas indesejáveis do ar, água, óleo ou de quaisquer outros materiais desejáveis. Eles fazem isso aderindo às coisas indesejáveis. Como resultado, eles ficam sujos e eventualmente precisam ser trocados.

Muitas pessoas acreditam que é isso que o fígado faz.

Quando mencionamos comer fígado, eles dizem, “não vou comer algo que filtra toxinas,” como se todas elas estivessem realmente no fígado.

Mas não é isso que o fígado faz. Realmente não.

Eu realmente não acredito que pessoas precisem de terem estudado fisiologia academicamente para entender corretamente o que o fígado faz. Portanto, eu proponho que juntemos forças para corrigir qualquer um que diga ou deixe implícito que “o fígado é um filtro.” Para fazê-lo eu recomendo estas três correções, cada uma apropriada para um nível diferente de entendimento científico:

  • Nível 1. “O fígado não filtra toxinas do sangue. Ele ajuda a mandá-las para suas fezes e urina para que elas saiam de seu corpo.”
  • Nível 2. “O fígado não filtra toxinas. Ao invés disso, ele as modifica para torná-las menos tóxicas e fáceis de excretar. Isto leva à sua eliminação nas fezes e urina, e não à sua retenção no fígado.”
  • Nível 3. “O fígado não filtra toxinas. A desintoxicação hepática acontece em três fases. A fase 1 oxida a molécula. Isto serve como preparação para a fase 2. A fase 2 conjuga a molécula com um de diversos grupos químicos. Isto serve a dois propósitos: um é tornar a toxina menos ativa metabolicamente; o outro é torná-la solúvel em água. A fase 3 exporta o conjugado na bile, que o leva aos intestinos. Dali, ou as toxinas saem nas fezes, ou são reabsorvidas na corrente sanguínea e saem do corpo pela urina.

Todo mundo pode entender pelo menos uma dessas explicações!

Por favor se juntem a mim para não deixar que qualquer pessoa na Terra, homem ou mulher, adulto ou criança, rica ou pobre, negra, branca ou parda, fraca ou forte, cientista ou artista, capitalista ou comunista, pense que o fígado seja um filtro, e vamos corrigir TODOS:

O fígado não é um filtro.

Publicado em Ciência, Nutrição | Marcado com , , | 2 Comentários

10 motivos pelos quais a frutose é perigosa

por Sébastien Noël, o original está aqui.

Tradução por Daniel Castro

Sugar

Açúcar

É conhecimento geral em círculos sobre a dieta paleo que açúcar, especialmente o açúcar frutose, deve ser limitado e pode causar diversos problemas como aqueles sob o termo síndrome metabólica. Ao contrário de outras comidas insalutares e não-comidas (grãos, soja, óleos vegetais), o açúcar também ocorre em comidas salutares como frutas e vegetais. Isto pode tornar mais difícil para nós realmente entendermos os perigos de consumirmos açúcar demais e lembretes são geralmente uma boa ideia.

O problema vem da quantidade de açúcar consumido nas dietas hodiernas. Nós provavelmente nunca tivéramos contato com tantas frutas doces na história, e muito menos sucos de fruta, refrigerantes, adoçantes e guloseimas doces. Se alguns de nossos ancestrais estiveram em contato com grandes quantidades de frutas doces, certamente não era ao longo do ano todo.

Na sacarose (açúcar comum) e em frutas adocicadas, a parte que é problemática é o açúcar frutose. A outra parte é a glicose, que pode ser usada por todas nossas células e é o principal combustível da vida na terra.

Porque a glicose é o bom açúcar, pode ser usada por todas nossas células para energia, e é essencial para algumas partes do nosso corpo (NT.: a glicose é essencial para algumas células, mas a sua ingestão, não, pois o corpo tem capacidade de produzir glicose via neoglicogênese), a melhor fonte natural de carboidratos são vegetais de amido. O amido é um complexo polímero de moléculas de glicose que é por nós digerido e absorvido como moléculas individuais de glicose. Vegetais de amido foram demonizados no passado por praticantes da dieta paleo, mas a ciência demonstrou que não somente eles são saudáveis de maneira geral, mas também têm sido consumidos há muito tempo por nossos ancestrais como uma fonte densa em energia. É claro, muitas fontes de amido como grãos e leguminosas são muito ruins para a saúde e o consumo exagerado de carboidratos também é problemático, especialmente para quem já tem problemas metabólicos.

Continuar lendo

Publicado em Nutrição | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O Mito dos Nitratos e Nitritos – Outro Motivo Para Não Temer Bacon

Por Chris Kresser, o original está aqui.

Tradução por Daniel Castro.

Além de estar cheio de “gordura saturadas que entope artérias” e sódio, bacon há muito tem sido considerado não saudável devido ao uso de nitratos e nitritos durante o processo de cura. Muitos médicos convencionais, e amigos e parentes bem intencionados, irão basicamente dizer que você está pedindo para ter um ataque cardíaco ou câncer ao comer a comida que entusiastas paleos se referem amorosamente como “carne guloseima”.

A crença que nitratos e nitritos causam problemas sérios à saúde está entrincheirada na consciência popular e mídia. Veja este vídeo para ver Steven Colbert explicar como a vindoura escassez irá prolongar nossas vidas devido à redução de nitratos em nossas dietas.

De fato, o estudo que originalmente ligou nitratos a risco de câncer e causou medo já foi desacreditado após ser submetido a uma revisão por pares. Houveram grandes revisões da literatura científica e não foi descoberta ligação entre nitratos ou nitritos com cânceres em humanos, ou mesmo evidências que apenas sugerissem que eles sejam carcinogênicos. Além disso, pesquisas recentes sugerem que nitratos e nitritos não apenas são inofensivos, mas que podem ser benéficos, especialmente para a imunidade e saúde do coração. Ainda está confuso? Vamos explorar a questão um pouco mais.

Resultado de imagem para hot women bacon

Isso te dá medo?

 

Pode surpreendê-lo descobrir que a grande maioria da exposição a nitratos e nitritos não vem da comida, mas de fontes endógenas do corpo. (1)

De fato, nitritos são produzidos por seu próprio corpo em mais quantidade do que pode ser obtido de comida, e nitritos salivares são responsáveis por entre 70 e 90% de nossa exposição total a nitritos. Em outras palavras, seu cuspe contém muito mais nitritros do que qualquer coisa que você possa comer.

Quando se trata de comidas, vegetais são a fonte principal de nitritos. Em média, cerca de 93% dos nitritos que ingerimos pela comida vêm de vegetais. Pode chocá-lo saber que uma porção rúcula, duas de alface, e quatro de aipo ou beterrabas têm mais nitritos que 467 cachorros quentes. (2) E sua própria saliva tem mais nitritos que tudo isso! Então se você eliminar carnes curadas de sua dieta, poderá ter de se preocupar com sua ingestão de aipo. E tente não engolir tão frequentemente.

Deixando o humor de lado, não há motivos para temer nitritos em sua comida, ou saliva. Evidências recentes sugerem que nitritos são benéficos para as funções imune e cardiovascular; eles têm sido estudados como tratamento potencial para hipertensão, ataques cardíacos, anemia falciforme e distúrbios circulatórios. Mesmo que eles fossem perigosos, carnes curadas não são uma fonte significativa, e o USDA somente permite 120 partes por milhão em cachorros quentes e no bacon. Também, durante o processo de cura, a maioria dos nitritos formam óxido nítrico, que se junta ao ferro e dá às salsichas e ao bacon sua cor rosa característica. Após esse processo, a quantidade de nitrito que sobra é de apenas 10 ppm.

E se você pensa que pode evitar nitratos e nitritos ao comer os chamados cachorros quentes e bacon “sem nitritos e nitratos”, não seja enganado. Estes produtos usam fontes “naturais” dos mesmos químicos, como aipo, suco de beterraba e sal marinho, e não têm menos nitratos e nitritos que as carnes curadas padrão. De fato, talvez eles contenham mais desses compostos quando feitos com preservativos “naturais”.

É importante entender que nenhum dos dois tipos de composto se acumulam no corpo. Nitratos ingeridos pela comida se convertem em nitritos quando em contato com nossa saliva, e dos nitratos que comemos, 25% é convertido em nitritos salivares, 20% em nitritos, e o resto excretado na urina após até 5 horas da ingestão. (3) Qualquer nitrato absorvido tem uma meia-vida muito curta, desaparecendo de nosso sangue em menos de cinco minutos. (4) Alguns nitritos em nosso estômago freagem com conteúdos gástricos, formando óxido nítrico que pode ter efeitos benéficos. (56) Você pode escutar ao meu podcastDoes Red Meat Increase Your Risk of Death?” para mais informações sobre este tópico.

De modo geral, a ciência de modo geral sugere que nitratos e nitritos não são problemáticos e podem até ser benéficos à saúde. Revisões críticas das evidências originais que sugeriam que nitratos e nitritos seriam carcinogênicos revelam que na ausência da administração de um precursor carcinogênico da nitrosamina, não há associação entre a ingestão estimada de nitritos e nitratos e câncer de estômago. (8) Sobre o óxido nítrico, formado por nitritos, foi demonstrado que ele tem propriedades vasodilatadoras e podem modular a função das plaquetas no corpo humano, melhorando a pressão sanguínea e reduzindo o risco de ataques cardíacos. (91011) Nitratos podem melhorar o sistema imune e proteger contra bactérias patogênicas.(121314)

Então o que podemos aprender com isso? Não há motivo para temer nitratos e nitritos na comida. Não há motivos para comprar bacon sem nitratos e não curado. Não há motivos para evitar especificamente carnes curadas, principalmente aqueles de fontes de alta qualidade (embora possa fazer sentido limitar seu consumo por outros motivos). De fato, por conta de preocupações com triquinose suína, faz muito mais sentido em minha opinião comprar bacon e outros produtos suínos curados. Eu faço isso.

Eu mudei sua opinião sobre a segurança do bacon? Deixe-me saber seus pensamentos sobre nitratos e nitritos nos comentários.

Publicado em Nutrição | Marcado com , , | Deixe um comentário